O que é fertilização in vitro? Entenda porque é um dos mais eficazes

A fertilização in vitro é um dos métodos de reprodução assistida. Também chamada de FIV, essa técnica é uma das que apresenta mais casos de eficácia e sucesso na gravidez não-natural.


Casais em idade avançada, mulheres com baixa reserva ovariana, trompas obstruídas ou ausentes, e homens com baixa produção e até ausência de espermatozoides, não precisam mais desistir de formar uma família.


Apesar de a fertilização in vitro não ser uma técnica tão recente, a tecnologia da medicina de reprodução assistida vem evoluindo muito.


Neste post, explicamos como a FIV é feita, para quem é indicada e os custos envolvidos. Acompanhe e confira como realizar o seu sonho de formar uma família mesmo com problemas de fertilidade.


O que é Fertilização in vitro (FIV)?

A fertilização in vitro é uma técnica de reprodução assistida que consiste em reproduzir em laboratório a fecundação que ocorreria no organismo feminino.



Na inseminação artificial (inseminação intrauterina) é feito o estímulo da ovulação da mulher, para que depois o sêmen seja injetado no útero.


Já na fertilização in vitro, é feita a coleta dos óvulos e sêmen para que a fertilização seja reproduzida em uma incubadora (estufa), monitorada por embriologistas. Ou seja, a FIV é feita fora do organismo da mulher.


Se o casal, ou um dos parceiros, tiver problemas em produzir espermatozoides ou óvulos, é possível utilizar gametas doados.


Quando mais de um embrião é transferido para o útero, existe a possibilidade de uma gravidez de gêmeos (ou até trigêmeos).


Para quem é indicada a fertilização in vitro?

Agora que você já sabe o que é fertilização in vitro, sabe para quem este tratamento é indicado?



A FIV é indicada para casais que não conseguem engravidar pelas vias naturais. Essa dificuldade pode ser causada por diversos fatores, como endometriose, laqueadura, baixa produção ou qualidade dos espermatozoides, alterações cromossômicas, entre outros.


A fertilização in vitro também é indicada para casais homoafetivos, que podem usar a doação de semen, óvulos ou embriões. Após isso, o embrião é transferido para uma das parceiras ou barriga solidária.


Como é feita a fertilização in vitro?

O primeiro passo para o casal que deseja ter filhos, é realizar uma consulta para que o médico identifique o motivo da infertilidade e oriente o melhor tratamento.


Alguns exames considerados simples podem diagnosticar a infertilidade do casal. Os dois mais comuns são: ultrassonografia transvaginal para avaliação da reserva ovariana e o espermograma.

O tempo para buscar ajuda para engravidar influencia diretamente no sucesso do tratamento. Quanto maior a idade da mulher, menor a reserva ovariana e a qualidade dos óvulos.


Além disso, vários fatores são avaliados para que o médico indique os medicamentos a serem utilizados no tratamento, inclusive se o casal terá maior chance com uso de gametas doados


Há duas técnicas para a Fertilização in Vitro: a FIV clássica e a ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoides)


Na FIV clássica, os óvulos ficam em contato com os espermatozoides em uma placa de cultura para serem fertilizados.



Na ICSI, o procedimento é feito com um microscópio que aumenta em até 400 vezes o tamanho do espermatozoide que será injetado no óvulo.


Os óvulos são captados aproximadamente após 12 dias de uso de medicamentos para crescimento dos folículos (onde estão armazenados os óvulos). Após aspiração do folículo, o líquido folicular é encaminhado para o laboratório de embriologia. Nesse líquido estará o óvulo para ser utilizado na fertilização.


Óvulos que serão utilizados na Fertilização in Vitro

Depois, é feita a coleta de semen, que pode ser realizada de duas maneiras: por masturbação, ou por extração cirúrgica. Essa segunda técnica é feita no caso de ausência de espermatozoides no ejaculado. Assim, a intervenção cirúrgica é feita na tentativa de localizar os espermatozoides que serão utilizados na fertilização dos óvulos.


O sêmen é preparado para ser utilizado na melhor técnica indicada para o casal (FIV clássica ou ICSI).


No dia seguinte, independentemente da técnica escolhida, é possível avaliar quantos óvulos foram fertilizados. Mais alguns dias na estufa para desenvolvimento do embrião, é possível realizar a transferência para o útero ou congelar para aguardar o momento mais propício para a transferência.


A transferência do embrião para o útero pode ocorrer em estágio de clivagem, após permanecer de 2 a 3 dias em cultivo no laboratório, ou em estágio de blastocisto. Geralmente, o embrião atinge o estágio de blastocisto depois de 5 a 7 dias em cultivo.


Após a transferência, o embrião continuará a se desenvolver e espera-se que ocorra a implantação no endométrio, na tentativa que a gestação seja levada até o final.


Há sintomas?

Durante o processo de preparação da mulher para a fertilização in vitro, existem possibilidades de sintomas e efeitos colaterais, como em qualquer tratamento que envolve hormônios.


Ao estimular os ovários para coleta, há possibilidade de sintomas leves como náuseas, inchaços e desconforto ovariano. Em alguns casos pode ocorrer a síndrome de hiperestimulação ovariana, que deve ser acompanhada de perto pela equipe do serviço contratado para que o quadro não se agrave.


No entanto, se os sintomas forem falta de ar, cólicas muito fortes ou sangramentos significativos, o casal deve procurar o médico ou a equipe responsável pelo tratamento. Assim, o médico avaliará se há necessidade de alguma intervenção.


Após a transferência dos embriões, é comum que a mulher sinta cólicas, seios inchados, fadiga e pequenos sangramentos confundidos com escape menstrual.


Ocorrendo a implantação do embrião no endométrio, os sintomas serão os mesmos de uma gravidez comum e saudável.


Existe a possibilidade de se ter gravidez múltipla, que aumenta a possibilidade de partos prematuros, pressão arterial elevada e diabetes gestacional. Por esse motivo, muitos centros de reprodução têm orientado a transferir apenas um embrião.


Indicamos que a gestante tenha um acompanhamento médico atento e siga as instruções dadas pelos profissionais. Além disso, é imprescindível que mantenha o pré-natal em dia.


Quanto custa a fertilização in vitro?

A Fertilização in vitro não está no rol de cobertura da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Por isso os planos de saúde não são obrigados a oferecer o tratamento.


Alguns poucos hospitais públicos, normalmente ligados às instituições de ensino, oferecem o tratamento gratuito, mas há uma longa fila de espera.


Porém, esse não é um cenário brasileiro. Os custos para fazer a fertilização in vitro são mundialmente altos. No entanto, sonhos não tem preço. Se o seu sonho é formar uma família, planeje-se para esse tratamento.


Assim, o primeiro passo do casal antes de começar o tratamento para a reprodução assistida deve ser organizar seu orçamento e entender se os custos estão dentro do que podem gastar.


Avalie se o seu plano de saúde cobre parte do tratamento, como exames, pré-natal e procedimentos, como o parto. Na consulta com o médico especialista, serão indicados os exames necessários para iniciar o tratamento.


Há também os custos do tratamento, como uso do centro cirúrgico, parte laboratorial, congelamento, além dos medicamentos para a estimulação ovariana e preparo do endométrio para transferência dos embriões. O mais indicado é procurar uma clínica de fertilidade que ofereça pacotes com algumas etapas do processo.


Por fim, há o custo de acompanhamento da gestação que pode ser feito com o obstetra a sua escolha. Escolha um clínica de fertilidade de confiança


Tome cuidado na hora de escolher os profissionais e clínicas para realizar seu sonho, além de ter um custo compatível com seu orçamento, eles devem oferecer segurança e suporte para o processo.


Na SEMEAR fertilidade, além de toda a estrutura da clínica e do atendimento, atuamos desde técnicas mais simples, como a inseminação intrauterina, quanto as mais avançadas e tecnológicas.


Além disso, a SEMEAR oferece tratamentos de reprodução assistida de baixo risco e atendimento humanizado. Não é à toa que já conquistamos o prêmio de melhor trabalho em Medicina Reprodutiva, em Roma, na Itália.


Agora que você já entendeu o que é fertilização in vitro, pode avaliar com seu médico qual a melhor forma de fazer uso da reprodução assistida e começar uma gravidez de forma saudável.


Caso tenha alguma dúvida sobre o processo de fertilização in vitro, procure os profissionais da SEMEAR. Basta deixar a sua pergunta no Facebook ou Instagram da SEMEAR com a hashtag #respondedr.

Posts recentes

Ver tudo

Dúvidas 

WhatsApp (16) 99644 9535

Agendamentos

Voz e WhasApp (16) 3234 4020

                         (16) 99276 9801

  • SEMEAR WhatsApp
  • SEMEAR Grupo Fechado Facebook

SEMEAR Facebook

Grupo Fechado

Conheça mais sobre nosso trabalho.

  • @semearfertilidade
  • #semearfertilidade
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Spotify
Responsável técnico médico:  Carolina Nastri CRM-SP:104.808

© 2020 por SEMEAR fertilidade.