Endometriose e gravidez: entenda as opções de tratamento

Após ouvir o diagnóstico do médico a maioria das mulheres se questiona: mas afinal, endometriose, o que é?

A resposta é simples, é uma situação na qual o tecido que deveria crescer apenas no interior do útero com o objetivo de servir de base para a implantação do embrião passa a crescer em outros locais.

Endometriose e Gravidez

Esta é uma das causas mais comuns de infertilidade, sendo extremamente provável em uma pessoa que, além da dificuldade para engravidar, apresente dor pélvica crônica. É uma síndrome complexa que envolve um processo crônico de inflamação depende de estrogênio e acomete principalmente os tecidos pélvicos como: peritônio, bexiga, intestino e ovários [1].

E qual o melhor tratamento para a endometriose?


A endometriose não tem cura, o que fazemos é tratar os sintomas. Os principais problemas a serem resolvidos são: dor, obstruções e infertilidade.

DOR

A dor pode ser apenas no período menstrual ou pode também iniciar alguns dias antes da menstruação. Pode também aparecer apenas durante as relações sexuais. Quando a bexiga ou o intestino estão acometidos pode-se sentir dor para urinar e/ou evacuar. Diarreia ou constipação também podem aparecer no período menstrual.


OBSTRUÇÕES

Algumas lesões podem obstruir órgãos como intestino ou ureter podendo causar problemas graves.


INFERTILIDADE

Endometriose e gravidez são duas coisas que pode ser difícil de conciliar. Porém a dificuldade parece estar relacionada com a ovulação e o caminho que o óvulo tem que fazer para chegar nas trompas e encontrar o espermatozoide para fecundar. Quando o embrião já está pronto e é colocado dentro do útero, a endometriose não atrapalha para engravidar [2].

Os possíveis tratamentos para endometriose são basicamente 3 tipos:


MEDICAMENTOS


O objetivo do tratamento medicamentos para endometriose é a supressão da menstruação e controle da dor. Para suspender a menstruação podem ser usados comprimidos contendo progesterona de forma contínua, este medicamento funciona como um anticoncepcional de uso contínuo, bloqueando o crescimento folicular e a menstruação. Outra possibilidade é a de utilizar medicamentos injetáveis que bloqueiam o eixo hipotálamo-hipófise induzindo um estado de menopausa temporária.

Em ambos os casos não é possível engravidar durante o tratamento.


CIRURGIA


A cirurgia tem o objetivo de retirar os focos de endometriose, para diminuir a inflamação que elas provocam. É indicada quando a mulher tem muita dor, mesmo com o tratamento medicamentoso, ou então quando é necessário desbloquear uma obstrução. Normalmente utiliza-se algum tratamento medicamentoso antes e após a cirurgia.


Em boa parte das vezes as mulheres sentem alívio da dor após o procedimento, porém sempre que há necessidade de abordar alguma lesão nos ovários, diminui-se o potencial reprodutivo.


Isso porque, mesmo quando a abordagem é delicada e minimamente invasiva, é já bem demonstrado que a a reserva ovariana diminui de forma significativa após a cirurgia [3]. O cálculo é que a queda seja de 33% após 6 meses da cirurgia. Impressionante, não?


FERTILIZAÇÃO IN VITRO


Quando a mulher deseja engravidar o tratamento medicamentoso da endometriose fica impossibilitado. Isso porque ela precisa ciclar e produzir óvulos, o que significa menstruar.


Quando uma mulher com endometriose está querendo engravidar e não está conseguindo, a alternativa é a fertilização in vitro. Isso porque esta é a única técnica que permite a formação do embrião fora do corpo. A sua colocação diretamente dentro do útero, evita que o óvulo/embrião entre em contato com o conteúdo inflamatório de dentro do abdome da mulher que tem endometriose. Com a fertilização in vitro, a mulher com endometriose tem as mesmas chances de gravidez do que mulheres sem endometriose, com a mesma idade e reserva ovariana.


Mas cuidado de houver necessidade de cirurgia para retirar algum endometrioma, como é chamada a lesão de endometriose dentro do ovário. Converse com seu médico sobre a possibilidade de produzir embriões antes da cirurgia, pois assim consegue-se um maior número de óvulos com cada ciclo de fertilização in vitro. Com mais óvulos, formam-se mais embriões, entregando assim uma chance de sucesso maior. Os embriões podem ser guardados para que você engravide após a cirurgia.

Tem mais dúvidas sobre o assunto? Entre no nosso grupo do Facebook e faça uma pergunta para nossos médicos! Basta adicionar #respondedr à sua pergunta.



Referências:

1. Bulun et al. Endometriosis. Endocr Rev. 2019 Aug 1;40(4):1048-1079. doi: 10.1210/er.2018-00242.

2. Bishop et al. Endometriosis does not impact live-birth rates in frozen embryo transfers of euploid blastocysts. Fertil Steril. 2020 Sep 21;S0015-0282(20)30712-3.

3. Nankali et al. The effect of unilateral and bilateral laparoscopic surgery for endometriosis on Anti-Mullerian Hormone (AMH) level after 3 and 6 months: a systematic review and meta-analysis. Health Qual Life Outcomes. 2020 Sep 24;18(1):314.




Dúvidas 

WhatsApp (16) 99644 9535

Agendamentos

Voz e WhasApp (16) 3916 2077

                         (16) 99276 9801

  • SEMEAR WhatsApp
  • SEMEAR Grupo Fechado Facebook

SEMEAR Facebook

Grupo Fechado

Conheça mais sobre nosso trabalho.

  • @semearfertilidade
  • #semearfertilidade
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Spotify
Responsável técnico médico:  Carolina Nastri CRM-SP:104.808

© 2020 por SEMEAR fertilidade.