top of page

Diferença entre inseminação artificial e fertilização in vitro: entenda!

Entender qual é a diferença entre inseminação artificial e fertilização in vitro é a dúvida de muitos casais.


Quando um casal não consegue engravidar pelas vias normais, ele busca a ajuda de médicos especialistas em uma clínica de fertilidade, que oferece opções de reprodução assistida.


Entre as opções oferecidas, duas se destacam como as mais procuradas: a inseminação artificial e a fertilização in vitro.


Um casal pode ser considerado infértil após tentar engravidar normalmente por um ano e não conseguir. Na verdade, isso é mais comum do que os pacientes acreditam.


Recomenda-se buscar auxílio médico para engravidar depois de um ano de tentativas sem sucesso para mulheres com até 35 anos, e 6 meses para mulheres de 35 a 40 anos. Mulheres acima dos 40 anos não devem aguardar para procurar orientação.


Cerca de 15% da população mundial, segundo pesquisa da Revista Crescer, passam por problemas relacionados à reprodução. Além disso, pesquisas apontam que 40% dos casos de infertilidade são um problema do casal, não somente de um dos parceiros.


Os outros 60% dos casos se dividem igualmente entre homens e mulheres, mas na grande maioria dos casos há sucesso em reverter a infertilidade com a ajuda da Medicina.

Neste artigo, vamos mostrar um pouco do perfil de cada uma das técnicas, para que você tire as suas dúvidas e saiba qual técnica melhor atende o seu caso. Vamos lá?


O que é a inseminação artificial?

A inseminação intrauterina (IIU), conhecida popularmente como inseminação artificial, é uma técnica indicada para casais com leves dificuldades para engravidar de forma natural.



As causas para essa dificuldade são das mais variadas. Nas mulheres, por exemplo, a ausência da ovulação pode ser a causa. Já nos homens, as alterações no sêmen. Seu médico ginecologista pode indicar exames que ajudam a detectar quais os impedimentos para engravidar e sugerir a inseminação intrauterina.


Essa técnica é muito utilizada com uso de sêmen doado em casais homoafetivos formado por duas mulheres, quando uma das parceiras deseja gerar o bebê, ou por mulheres que querem ter produção independente.


Como a inseminação intrauterina é feita?

Primeiro, a mulher recebe medicamentos que irão estimular o crescimento dos folículos, que contêm os óvulos. Depois, o sêmen é coletado, avaliado e preparado em laboratório.


Em seguida é aplicado no útero, simulando o que ocorreria naturalmente após a relação sexual, que é o percurso natural do óvulo e espermatozoide na tuba uterina para a fecundação.


Depois que óvulo e espermatozoide se encontram, o embrião é formado, começando assim a gravidez.


Agora que você já sabe como é feita a inseminação intrauterina, vamos entender a diferença entre inseminação artificial e fertilização in vitro.