Clínica de fertilidade: o que é e quais serviços oferecem?

Casais que desejam ter filhos, mas não conseguem engravidar pelas vias naturais, têm na clínica de fertilidade um centro médico especializado para auxiliar o sonho de formar e de aumentar a família.


Para que tenha uma ideia, a cada 5 casais brasileiros que tentam engravidar, 1 deles terá dificuldades nessa jornada. O mundo tem, em média, 60 milhões de casais que encontram dificuldades para engravidar.


Normalmente, esses casais tentam o processo natural por mais de um ano e não conseguem.


esses casos, onde o sonho da gestação é maior que as dificuldades, é que uma boa clínica de fertilidade pode ajudar.


Acompanhe, neste artigo, algumas informações sobre os serviços e tratamentos oferecidos para casais que querem dar este passo importante em suas vidas.

O que é uma clínica de fertilidade?

Uma clínica de fertilidade é um centro médico especializado em reprodução humana. Nesses centros, são feitos serviços associadas à reprodução assistida, para os casais que sofrem com a infertilidade ou outros problemas que possam dificultar ou impedir a gravidez por métodos naturais.

Além de um corpo médico técnico, a equipe das clínicas de fertilidade conta com embriologistas, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Há ainda toda a parte administrativa.

Vale ressaltar que, as técnicas e tecnologias utilizadas variam de clínica para clínica. A SEMEAR, por exemplo, usa desde métodos mais simples, como o coito programado, até as mais complexas, como a FIV (Fertilização in Vitro).

Para o casal, essa deve ser uma escolha muito bem pensada e pesquisada. Procure por clínicas de boa reputação e sempre faça visitas ao endereço. Assim, poderá conferir como é a estrutura e o atendimento do local.

Quando procurar ajuda?

De cada 10 casais que resolvem ter um filho, 8 deles conseguem engravidar em até 1 ano tendo relações desprotegidas no período fértil. Se você ou sua parceira tem menos de 35 anos e já faz mais de um ano que vocês estão tentando, vale a pena ouvir a opinião de um especialista.

Existem outras situações em que é importante uma avaliação especializada antes. Por exemplo, quando a mulher já tem mais de 35 anos, cada ano conta. Uma avaliação médica pode ser importante desde o começo.

Isso porque tem algumas situações que tornam muito difícil engravidar naturalmente: por exemplo, quando as trompas estão obstruídas ou quando há poucos espermatozoides.

Em situações assim, exames simples podem direcionar o casal: vale a pena continuar tentando naturalmente ou devo recorrer a algum tipo de tratamento?

Porque o tempo é fundamental para a mulher que quer engravidar?

Infelizmente é verdade, do ponto de vista reprodutivo a mulher sofre mais com o passar do tempo do que os homens. Isso porque a mulher já nasce com todos os seus óvulos prontos.

Eles vão apenas diminuindo com o passar dos anos, desde a infância as mulheres já estão perdendo sua reserva ovariana.

Além disso, os óvulos vão sofrendo com o efeito do tempo, assim como todas as células do nosso corpo. Após os 30-35 anos esse efeito torna-se mais pronunciado, e começa a diminuir o potencial que cada óvulo tem de virar um bebê.

Os homens sofrem bem menos com o passar dos anos, porque seus espermatozoides são constantemente produzidos ao longo de toda a vida. Eles não envelhecem da mesma forma que os óvulos.


Como é a primeira consulta de reprodução?

Na primeira consulta na clínica de fertilidade, o médico especializado em Reprodução Humana vai fazer várias perguntas e ouvir sua história. Detalhes como frequência e época que o casal tem relações sexuais podem ser a causa da dificuldade.

Tudo deve ser questionado e ouvido com calma. Conforme a necessidade de cada pessoa ou casal serão solicitados exames para permitir entender o que está acontecendo com você. A partir daí, será feito um planejamento exclusivo para você.

Esse processo é importante, pois permite um direcionamento do tratamento. Não adianta recorrer a uma lista longa de exames se eles não se aplicam a sua realidade.

Na medicina não existe “receita de bolo” e para não se perder tempo é necessário perfeito entrosamento entre médico e paciente: o objetivo na reprodução é atingir o nascimento de uma criança saudável no menor espaço de tempo e com o menor desgaste possível. Por isso a escolha do seu médico é tão importante.

Atualmente, é possível o teleatendimento, uma modalidade que encurta distâncias e te traz a possibilidade de acesso aos melhores profissionais, estejam eles onde estiverem.

Mas é importante ressaltar que consulta por vídeo é muito diferente de consulta em massa. Fuja dos profissionais que te entregam uma lista de exames “mínima” antes mesmo de falar com você.

Como escolher seu médico?

A escolha do médico de uma clínica de fertilidade deve ser baseada na sua formação e na empatia também. É essencial que o médico tenha uma boa formação: veja seu currículo, qual foi sua trajetória, qual sua especialização.

Aqueles médicos que se dedicaram à ciência costumam ter um olhar mais crítico, se deixando levar menos facilmente pelo “mercado”. Isso pode ser importante na hora de ter de pesar o benefício de novos tratamentos para você, otimizando o gasto do seu dinheiro.

Outro aspecto importante é a empatia. Você se sente confiante e à vontade ao conversar com seu médico? Ele é acessível e compreende suas dúvidas e ansiedades?

Esse ponto é difícil de saber de antemão, geralmente só é possível ter certeza após a primeira consulta. Mas tente saber de outras pacientes o que acharam desse profissional, será aquilo que você está buscando?

Quais são os serviços e tratamentos de uma clínica de fertilidade?

Em uma clínica de fertilidade você encontra tanto serviços médicos quanto tratamentos.

Os principais são fertilização in vitro, preservação da fertilidade, programa de doação de óvulos, banco de sêmen, doação de embriões, barriga solidária e ultrassonografia.

Entenda como cada um desses serviços funciona.

Fertilização in vitro

A fertilização in vitro (FIV) é um tratamento utilizado para facilitar o encontro dos óvulos e espermatozoides no momento da fertilização. Ela pode ser utilizada quando o casal já esgotou outras técnicas, como o coito programado ou mesmo a inseminação intrauterina (inseminação artificial). Há casos que a FIV é indicada mesmo antes de outros métodos.

Na Fertilização in vitro, primeiro são coletados os óvulos e o sêmen. Essa fertilização ocorre no laboratório. Essa técnica é mais utilizada quando há obstrução ou ausência da tuba uterina, mulheres com idade mais avançada, casos de endometriose ou baixa concentração de sêmen.

Além disso, há dois tipos de técnicas na FIV: a FIV clássica e a ICSI. Com a FIV clássica, os óvulos ficam em contato com os espermatozoides em uma placa de cultura para serem fertilizados. Na ICSI — Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides— o espermatozoide é colocado dentro do óvulo.

Inseminação Intrauterina (IIU)

Na inseminação intrauterina, também conhecida como inseminação artificial, a ovulação da mulher é estimulada de forma mais leve que a FIV. O sêmen, após preparo em laboratório, é transferido para o útero da paciente. Por isso, não há necessidade de coletar os óvulos e fazer a fertilização em laboratório.

Essa técnica é utilizada por casais com leves distúrbios de ovulação que impedem a fecundação por meio da relação sexual, e que não há obstrução ou ausência da tuba uterina, possibilitando que o óvulo seja fertilizado pelo espermatozoide.

Preservação da fertilidade

Para os casais que pretendem ter filhos, mas no momento não podem ou não desejam, podem adiar o sonho de serem pais com uma clínica de fertilidade.

As mulheres já nascem com a quantidade de óvulos que terá em toda a sua vida. Todos os meses, os óvulos não utilizados são expelidos por meio da menstruação.

Assim, quanto mais avança na idade, maior a dificuldade de ter um filho, devido à reserva ovariana e a qualidade dos óvulos. Geralmente, a partir dos 35 anos da mulher, cada ano conta.

Para quem deseja engravidar mais adiante, é possível fazer o congelamento de óvulos. Após a estimulação ovariana, os óvulos são coletados e armazenados (congelados), para que um dia possam ser utilizados na Fertilização In Vitro.

No caso dos homens, é possível congelar sêmen, mas não por conta do envelhecimento, e sim pelo efeito colateral de tratamentos, como a quimioterapia ou pela realização de uma vasectomia.

Outra técnica também utilizada é o congelamento dos embriões, resultado da fertilização in vitro. Mas o embrião só poderá ser utilizado com o consentimento do casal. Além de assegurar que os óvulos e sêmen estão conservados, essa prática reduz a possibilidade de síndromes cromossômicas em decorrência da idade e após abortos.

Programas de doação de óvulos

Existem casos em que os casais não conseguem engravidar com seu próprio material genético, seja o óvulo, seja o sêmen. Nesses casos, as clínicas de fertilidade, como a SEMEAR, oferecem serviços de doação de óvulos.

Mulheres jovens (com idade limite de 35 anos), sem doenças contagiosas ou genéticas, se apresentam voluntariamente para doarem seus óvulos. O material colhido será utilizado em processos de fertilização in vitro, com o material genético do parceiro ou de um doador.

O processo é feito em sigilo e as partes não têm acesso à identidade dos doadores ou receptores, além de não ter direitos sobre a criança gerada. Esse tratamento ajuda a aumentar a chance de casais inférteis.

Bancos de Sêmen

Assim como as mulheres, os homens também podem doar semen para tratamentos de reprodução assistida.


Os candidatos interessados em doar semen (com idade limite de 50 anos), devem procurar uma clínica de fertilidade ou banco de semen para avaliação.


No Brasil, a legislação não permite que a identidade do doador seja informada aos casais que recorrem a um banco de semen, somente as informações para atingir a compatibilidade.


Doação de Embriões

Os embriões excedentes de famílias que já tiveram seus filhos podem ser doados para pessoas com diversas causas de infertilidade. O casal doador deve ter idade limite de 35 anos para mulheres, e 50 para homens.


Para manter o sigilo e anonimato, as clínicas só informam as características necessárias do casal doador para realizar o pareamento entre o embrião e casal receptor, sem informar a identidade dos doadores. A doação deve ser feita em comum acordo pelo casal doador.


Barriga solidária ou útero de substituição

No Brasil é possível gerar uma criança no útero de outra mulher, desde que seja um ato de doação, feito por um parente até o quarto grau de um dos pais: mães, irmãs, tias, sobrinhas e primas.


A mulher que gestará a criança não transmite seus traços genéticos para ela, mas garante o desenvolvimento seguro e nutrição ao feto. A prática conhecida como “barriga de aluguel”, envolvendo dinheiro, é proibida no Brasil.


Investigação de Infertilidade

O tempo é um dos fatores determinantes para conseguir ter um filho. Devem procurar uma clínica de fertilidade, as mulheres com até 35 anos, que após um ano de tentativa natural, não conseguiram a gestação desejada.


Para mulheres entre 35 a 40 anos, a sugestão é que busquem orientação após 6 meses de tentativa natural. Casais em que a mulher tem mais de 40 anos, não devem perder tempo em iniciar seu tratamento.


O primeiro passo para o casal que enfrenta dificuldades em ter filhos, é realizar uma consulta para que o médico identifique o motivo da infertilidade e oriente o melhor tratamento. Simples exames, como ultrassonografia transvaginal para avaliação da reserva ovariana e espermograma, podem diagnosticar a infertilidade do casal.


Tratamentos para casais homoafetivos

As boas clínicas de fertilidade podem ser um grande parceiro para os casais homoafetivos que desejam aumentar sua família com o nascimento de um bebê. Na clínica, é possível usar serviços como a doação de óvulos, semen ou embriões.


Para casais formados por duas mulheres, é possível fazer a coleta de óvulos em uma e transferir para a outra o embrião gerado do óvulo fertilizado com semen doado. Para os casais formados por dois homens, a clínica também pode orientar sobre o uso de óvulos doados e barriga solidária para gerar seus filhos.


Medicina Materno Fetal

A Medicina Maternal Fetal busca acompanhar a gestação com atenção na gestante e no bebê, exames específicos e profissionais especializados, que podem complementar o atendimento de seu obstetra.


Entre os exames, destacamos as ultrassonografias em diversas etapas da gestação, para acompanhar o desenvolvimento do feto e identificar rapidamente quaisquer complicações que possam aparecer.



Clínica de fertilidade: 5 dicas para escolher a melhor

Contar com uma clínica de fertilidade confiável e atenciosa faz toda a diferença para o processo do tratamento até chegar na gestação. Dessa forma, escolher a clínica de fertilidade ideal é uma tarefa que merece cuidado. Afinal de contas, é comum que os tratamentos durem meses. Você precisará ter a certeza de que aquela clínica é de confiança e que vai realizar os procedimentos da melhor forma.


Mesmo que mereça cuidado, essa escolha pode ser realizada de forma simples. Basta que você siga algumas etapas. Veja a seguir.



1. Peça indicações

Você conhece outras pessoas que passaram por tratamentos de fertilidade? Se sim, é uma ótima opção conversar com elas.


Elas poderão te indicar uma boa clínica de fertilidade. Também vão conseguir transmitir experiências e dicas que podem facilitar a sua escolha.


Caso não conheça, procure em grupos fechados de discussão nas redes sociais. Este é um local que muitas pessoas se sentem à vontade para se abrir e contar sobre suas experiências.


Acesse ainda as redes sociais da clínica. Nesse espaço, os usuários costumam ser bastante sinceros sobre o que pensam das empresas.


Ou seja, no Facebook, Instagram ou outro meio social, você vai encontrar opiniões em que basear sua decisão. É importante que a clínica seja bem avaliada e citada como atenciosa e confiável.


2. Pesquise sobre a clínica na internet

Sem dúvida, a internet é hoje uma poderosa aliada na hora de contratar qualquer serviço. Aproveite do meio on-line para conhecer mais sobre as opções de clínica que você tem.


Uma dica é pesquisar pela clínica no Google. Nos resultados, você vai encontrar mais informações sobre o espaço e o que os clientes acham dela. Não fique restrito à sua cidade ou região, às vezes as diferenças nos valores e facilidades no tratamento compensam uma longa distância e até mesmo as viagens.


3. Conheça o corpo médico da clínica

Outra pesquisa que você pode realizar é sobre quem faz parte da equipe médica que vai lhe atender. Os profissionais do espaço são capacitados e especializados?


Conhecer o corpo médico vai te ajudar a ter mais confiança nos serviços que eles vão prestar.

Além disso, ao conversar com os especialistas da clínica, perceba se eles têm transparência. Infelizmente, o sucesso dos tratamentos não é 100% garantido. Se o médico disser o contrário, preocupe-se.


4. Acolhimento

Como paciente, você deve buscar por uma clínica que se preocupa também com o seu emocional. Os tratamentos podem ser bem demorados e acompanhados de muitas frustrações e incertezas. Nesse momento o acolhimento é essencial. Procure saber como é o acesso à clínica durante o tratamento, como são passadas as informações sobre o tratamento e qual suporte é oferecido em um momento ruim, quando por exemplo, no caso de um negativo. Há apoio psicológico? Como é o acesso?


5. Valores do procedimento

Claro que também é importante saber quanto o tratamento proposto vai custar. Assim, você poderá planejar sua vida financeira e terá tranquilidade na hora de arcar com tudo. Então, entenda o quanto será cobrado pela clínica, quando e como os valores poderão ser pagos.


Além disse, verifique a existência de pacotes e programas para a realização de mais de um procedimento. É comum ter que repetir o processo algumas vezes até atingir a gravidez. É necessário um planejamento maior do que apenas mergulhar em um tratamento.


Uma clínica de fertilidade vai além de um consultório com médicos. Os serviços oferecidos por essas clínicas ajudam casais a realizarem o sonho de gerar e de cuidar de uma vida. Ter problemas para engravidar já não precisa ser o fim desse sonho.


Agora que você já conhece mais sobre o funcionamento de uma clínica de fertilidade, nos escreva caso tenha alguma outra dúvida. Basta marcar a sua pergunta no Facebook ou Instagram com a hashtag #respondedr. Sua pergunta será respondida pelos profissionais da SEMEAR.


Dúvidas 

WhatsApp (16) 99644 9535

Agendamentos

Voz e WhasApp (16) 3234 4020

                         (16) 99276 9801

  • SEMEAR WhatsApp
  • SEMEAR Grupo Fechado Facebook

SEMEAR Facebook

Grupo Fechado

Conheça mais sobre nosso trabalho.

  • @semearfertilidade
  • #semearfertilidade
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Spotify
Responsável técnico médico:  Carolina Nastri CRM-SP:104.808

© 2020 por SEMEAR fertilidade.